17 ago. 2009

Estado civil: cansada - Lota Moncada





É isso mesmo que ouviu,
Antonio Maria é quem tinha razão!
Tou bem cansada.
E cansada não sou boa coisa,
moleca, jogada, nervosa, irritada,
vontade de tudo, desejo de nada…
É o céu, o inferno, limbo, purgatório,
Pátio dos fundos, porta fechada…

Tou cheia.
Fartinha, enjoada…
Dói isto e aquilo
Dá fome e dá frio
Dá sono e insônia
Dá dó…

Ninguém dá mais nada!
Nem mesmo um chamego,
um cheirinho,
carinho,
abraço,
moleza,
certeza,
receita,
tapinha nas costas,
carona na sexta,
Nem mesmo fiu-fiu ao passar pela obra!

Tou cheia.
Vontade de limbo
no pátio dos fundos,
enjoada
não sou boa coisa,
fartinha
moleca
jogada
irritada
nervosa
cansada

E sabe o que mais?
Também não dou mais nada.

2 comentarios:

Matilde dijo...

Lota,achei linda atua poesia acho que ela revela toda e essencia dquilo que chamamos"cansada" A foto deu corpo a poesia.Parabens!

Matilde

marvilla dijo...

Maravillosa Lota, me ha parecido esta rebelión, que yo también comprendo. Tan solo se ve la superficie y la belleza evidente, pero cuando para muchos empezamos a ser invicibles, fantasmas que vagamos por la vida; aún existen muchos que tienen los ojos del corazón y la sensibilidad para ver que aún seguimos siendo hermosos y jóvenes enigmas.