20 jul. 2010

Desconsolo - Lota Moncada

Com este poema em português - podem ler a versão original em espanhol aqui Desconsuelo - estou participando do concurso Talentos da Maturidade. É a segunda vez que participo. No ano passado com um conto "A revoada", que também está na minha galeria de trabalhos. 

Pelo jeito, vou colecionar participações... Mas ficarei feliz se quiserem entrar lá (ou aqui no blog!) e comentar, mesmo que isso não influencie para nada o concurso. Agora que resolvi "sair da gaveta", preciso muito do olhar do outro...

Ah sim, e vem por aí uma nova antologia de poemas da Editora Andross... Estarei lá com dois poemas! Aguardem as novidades, com a primavera! 



Não, por favor,
não me consoles,
deixa-me sofrer
que a causa é nobre,
que a pena é limpa
e faz mais leve a alma.
A fina tristeza
como chuva mansa
lava, prepara, encanta,
desliza suavemente
por olhos, boca, garganta,
e deixa na passagem
apenas lembrança.

Por favor, abraça-me,
não me abandones
quando como alude
sobrevenha o pranto
arrastando tudo,
coração de luto,
ventre desgarrado,
turbilhão no peito,
alma a descoberto.

E quando, por fim,
encegueçam meus olhos
para já não ver
o irmão morto,
a tragédia inútil,
a esperança em fuga,
permite que me cale,
já secos os lábios,
que descanse a mão
de sinal aberto
e refaça o passo
que se tornou lento.

2 comentarios:

w.m. dijo...

Suerte en el concurso,Lota!!!El poema vale mucho.Abrazo grande.w.m.

.Mar. dijo...

O poema é muito belo, goste demais...

sorte no concurso!!!