29 jul. 2012

Mais comentários e notas sobre Palavras Palabras


Com meu mais emocionado agradecimento aos queridos amigos Aroldo Murá Haygert, Regina Bostulim, Helio Puglielli, Maria Benites Guzman, Luciene de Morais, Rosana Barroso pelo imenso respeito e apoio, especialmente na divulgação do espetáculo.

Aos amigos que o fotografaram lindamente Chico Nogueira, Valdir Manfredini, Kely Kachimareck, a própria Rosana Barroso a nossa Mulher Maravilha do sul do mundo  (se deixei alguém de fora por favor, não se zanguem comigo e me digam para poder corrigir o erro!).

Aos amigos em geral, aos companheiros de caminhada, aos que foram, aos que não puderam ir, aos que ainda se lembram de mim e estão longe, aos que ficaram aqui onde moro atualmente e torcendo, a todos MESMO, obrigada pela companhia, pelo carinho, pela boa energia! Sem vocês nada disto existiria ou teria sentido, de verdade!  




*****     *****

"Alzira Power, a primeira peça a que assisti na vida. Jamais esqueci a atriz. Eu olhava seu rosto, suas mãos. Que mulher fantástica, cheia de energia e força vital. Um talento como depois jamais vi outro igual. Ao menor gesto expressava emoção. A vida fluía dela para a platéia. Depois do espetáculo, fomos eu e minha mãe ao camarim, e a atriz era ainda mais cativante em pessoa. Simpática, meiga, simples. Mesmo cansada do exaustivo espetáculo, nos recebeu em seu camarim com grande carinho. Me marcou para sempre. Fui ser jornalista de cultura, motivada pela impressão que esta grande artista deixou em mim. Jamais esqueci aquela noite! Deus abençoe a maravilhosa Lota Moncada, que transmite força divina em seus menores gestos!"   Regina Bostulim


*****     *****

POESIA DE LOTA COMOVE NO GUAÍRA (COLUNA DO MURÁ) 

Momentos de emoção no mini-auditório do Guaíra, quinta feira, 19, quando a atriz Lota Moncada reencontrou amigos e colegas dos tempos em que atuou em nossos palcos. Ela se declarou “bem feliz de rever Curitiba, onde morei tantos anos e tenho muitos amigos, especialmente fazendo aquilo de que mais gosto: estar no palco e dizendo poemas meus!” O convite (e a produção) veio da amiga, cantora e compositora, Rosana Barroso coordenadora de atividades culturais do III Congresso de Cultura e Educação para Integração da América Latina. O espetáculo, muito aplaudido, foi uma nova versão de “Palavras Palabras”, que foi apresentado aqui em fevereiro de 2011. O recital, na versão 2012, é composto por 12 poemas escritos e apresentados por Lota, 4 deles já ditos no primeiro recital, sendo os demais inéditos. Mas ela ressalva: “como sempre, três são em espanhol, afinal essa é minha língua materna”!

A “NOSSA” LOTA

Lota Moncada nasceu em Santiago do Chile, filha da atriz uruguaia Zulema Laborde e do escritor chileno Julio Moncada. Passou a infância no Uruguai, mas pode ser chamada de “nossa”, pois viveu mais de 40 anos no Brasil, país que adotou e onde mora atualmente. Em Curitiba estudou e licenciou-se em Filosofia pela Universidade Federal do Paraná, Ao morar em Montevidéu, trabalhando no Instituto de Cultura Uruguaio-Brasileiro, cursou pós-graduaçãoem Linguística Aplicada(Especialização em Português para Estrangeiros), graças a convênio entre a Universidad dela Repúblicae a Unicamp, do Estado de São Paulo.

QUASE 50 ESPETÁCULOS

Entre 1965 e 2007, participou, como atriz ou diretora, em mais de 40 espetáculos, desde tragédias gregas, como Édipo-Rei e As troianas, até clássicos modernos como “A casa de Bernarda Alba”, de García Lorca, passando por contemporâneos como os autores Antonio Bivar, Nelson Rodrigues e Gianfrancesco Guarnieri. Atuou também em peças escritas por ela, sendo premiada como autora em 1984. Ao todo, recebeu quatro Troféus Gralha Azul como Melhor Atriz .sendo até agora a mais premiada. Entre os anos de 1968 e 1971 Lota foi apresentadora de jornal, (Show de Jornal na TV Iguaçu) Fez programas de entrevistas e um programa diário dedicado ao público feminino: “O 4 é um show”. Também foi “a garota do Tempo” no Canal 6.
Em rádio tem feito quase de tudo: locução comercial, apresentação de notícias, produção de programas para crianças, entrevistas, e vários anos de radioteatro no Uruguai.

CINEMA E LITERATURA

No cinema, participou de três filmes: Lance Maior de Sylvio Back- 1968; “Quarup das Sete Quedas” de Frederico Füllgraf, homenagem ao “assassinato das águas” baseado em poema de Carlos Drummond de Andrade, do qual fez a narração, e “Mato eles?”, média-metragem de Sérgio Bianchi, de 1982, premiado no Festival de Gramado.
Lota escreve desde muito jovem, fundamentalmente poesia, mas se define como uma escritora bissexta. Participou da antologia de poesia “Ecos da alma”, da Andross Editora, lançadaem São Pauloem fevereiro de 2010. Em 29 de janeiro de 2011 foi lançada a segunda antologia – “O segredo da crisálida” da qual participa com dois poemas.
Em dezembro de 2010 foi uma das premiadas no Concurso Internacional de Poesía de Latin Heritage Foundation, nos EUA, com o poema “Desconsuelo”, e o livro “Una isla en la isla”, que está à venda apenas no site da Amazon.com. Em seu blog bilíngue, espanhol-português, “Palavras Palabras” divulga seus poemas e literatura de outros autores, incluindo textos e gravações em áudio.


******     ***** 

ADMIRÁVEL EVOLUÇÃO DE LOTA  - Helio Puglielli

Começa pela aparência física: de uma fisionomia juvenil um tanto vulpina, evoluiu na maturidade para o equilíbrio e a harmonia de traços.
Intelectualmente, passou a dominar com perfeição tanto a nossa língua, quanto sua língua natal, o espanhol. Surpreendeu com seus textos poéticos, interpretados muito bem por ela própria, lá no mini-auditório do Guaíra. Quem não foi, perdeu um belo espetáculo...inclusive os momentos de emoção, ao final, quando Lota foi cumprimentada por antigos batalhadores de nosso teatro, como o ator e diretor Lutero Renato, que não conseguiu conter as lágrimas. De nosso grupo no FB lá estavam Izabella Zanchi e Franco Rovedo.


*****     *****


de Maria Benites Gusman, 20 de Julio de 2012.

Aconteceu ontem um RECITAL DE POESIA, nesta Capital de Curitiba, PR, no MiniTeatro Guaíra, com a participação exclusiva da poetisa Lota Moncada, denominado PALAVRAS, PALABRAS. Foram momentos de reflexão e encantamento, onde a autora revelou a intenção de valorizar as palavras e os gestos como recursos da comunicação, revelando sentimentos.
Soube definir com elegância, graça e sabedoria, as etapas de vida do ser humano, a partir da infância, maturidade e as implicações que se revelam na terceira idade.

Sua poesia destina-se a todos que apreciam o belo; agrada a todos, eis que inclui exemplos reais de vida, a partir de como a poesia se revela  simples e complexa ao mesmo tempo..."tal e qual o esperto felino que brinca com o novelo de lã, desfazendo-o com a leveza dos seus toques" e tão logo, é preciso recolhê-lo para o recompor novamente.

Preferencialmente atentos, o recital foi abrilhantado por uma clientela elitizada, convicta de que haveria uma boa oferta literária, pelo reconhecimento de Lota Moncada . Podemos concluir que a poetisa traz consigo a força da inspiração ; uma mulher segura de si, com sentimentos intensos e domínio das mensagens que  transmite. Enfim, uma poesia reveladora de conceitos, valores e atitudes, peculiares a todos nós.
Maria Benites Gusman/ Crítica em Artes.
Curitiba, Paraná
*****     ******

2 comentarios:

Val Dantas dijo...

Ler tudo isso, esse reconhecimento por sua arte, seus talentos, tão merecido, me enche de orgulho e alegria! É assim que gosto de te ver...ops.. de "saber" de você. No palco! Fazendo o que mais sabe e gosta, e recebendo o devido reconhecimento do público! Espero sinceramente que receba mais convites a partir desse sucesso no Guaíra e que se espalhe por aí em graça e profissionalismo! Você merece, minha amiga!

Lota dijo...

Beijo, beijo, abraço, abraço, a você minha leal e querida amiga!