20 jun. 2013

Um homem feio - L. Moncada ( 19.6.2013)

Era um homem feio
de belo e doce olhar.
Voava lagos e mares
atravessava as estrelas

no entanto me via.

Seu azul me singrava
podia me adivinhar.
Permitir nunca foi fácil
mas a doçura abduzia

abatia a fera em mim.

Abraçando enfim o som  
- desafinado e furtivo -
regeu uma orquestra
que apenas ele ouvia


reescreveu minha partitura.

No hay comentarios: