9 mar. 2014

Figura de linguagem - Lota Moncada


A antítese da tese
antípoda próxima,
síntese sem resumo,
verso ao inverso.
O que sou, afinal,
senão a palavra
que se lê, ou não,
explícita ou calada,
inteligível e hermética
a que não se explica?
Às vezes elipse,
às vezes pleonasmo,
geralmente hipérbole.

Quem sou, afinal?
Alquimista fugaz,
breve e taciturna,
que faz silepse, mas
nem sempre sinapse.
Tudo isso, e mais.
Há sempre mais detrás
das mil figuras de linguagem,
algumas inventadas,
parafraseadas,
artificiosamente urdidas,
mas, com certeza,
prosopopeia jamais!




No hay comentarios: