24 ene. 2015

Pois é - L. Moncada (20.1.15)


pois é
e é sem querer
que a gente vai
vivendo descobrindo
amando esquecendo
de esquecer

pois é
e de novo o verso vai
nascendo sofrido
pendurado na lembrança
enroscado numa rima
até que o esquecimento

pois é  
o esquecimento
o reviva o resgate
o arranque  do tormento 
de ser sem tom nem som 
somente um verso tão só

pois é

Escrito após a leitura de um poema (lindo, aliás) do amigo poeta e compositor, Ronald J. de Magalhães, este aqui debaixo

Há tantas coisas pra se amar
e o amor que se descobre sem querer
brotando de um verso que a gente esqueceu
de lembrar, relembrar, reler.



3 comentarios:

Ronald José Magalhães dijo...

Muito beleza mesmo! Brava, Lota!

Ronald José Magalhães dijo...

Brava Lota! Uma beleza de blog! Estamos aí,junto!

Lota dijo...

Gracias Ronald!! Bom saber que está por aqui, e que gostou!